Morreu um revolucionário. Viva a Revolução!

É possível que muitos comecem agora a compreender a Revolução em todo o seu significado e em toda a sua grandeza, porque, inclusive, essa era uma palavra muito em voga, muito repetida e que para muitas pessoas não tinha senão um significado sonoro, uma ideia confusa, porque, inclusive, se chamava revolução a qualquer coisa e qualquer um se chamava de revolucionário. E parecia fácil uma revolução e, no entanto, uma revolução não é uma tarefa fácil. Uma revolução não é um acontecimento simples na história de um povo. Uma revolução é um acontecimento complexo e difícil, e que tem, além disso, a virtude de ser uma grande mestra, porque vai nos ensinando durante sua marcha, e sua marcha vai fortalecendo a consciência do povo e sua marcha nos vai ensinando o que é uma revolução (24/02/1960)[1].

21-Imagem121-Imagem1a

A classe operária a mantinham impotente, a mantinham dividida, não lutando pelas verdadeiras metas pelas quais deve lutar a classe operária. E vocês sabem qual é a primeira meta pela qual deve lutar a classe operária, a única meta pela qual deve lutar fundamentalmente uma classe operária em um país moderno? Pela conquista do poder político! Porque a classe operária é uma classe absolutamente majoritária, a classe operária é a classe fecunda e criadora, a classe operária é a que produz quanta riqueza material exista num país. E enquanto o poder não esteja em suas mãos, enquanto a classe operária permita que o poder esteja nas mãos dos patrões que a exploram, dos latifundiários que a exploram, dos monopólios que a exploram, dos interesses estrangeiros ou nacionais que a exploram, enquanto as armas estejam nas mãos da camarilha a serviço desses interesses e não nas suas próprias mãos, a classe operária estará condenada, em qualquer parte do mundo, a uma existência miserável, por muitas que sejam as migalhas que, da mesa da festa, os grandes interesses e os grandes privilégios lancem sobre ela (14/12/1960)[2].

21-Imagem2a21-Imagem2

O DEVER DE UM REVOLUCIONÁRIO É FAZER A REVOLUÇÃO!

21-Imagem3

 ‍


[1] Discurso de Fidel Castro em evento da Central de Trabalhadores de Cuba Revolucionária (CTC-R). In: CASTRO, Fidel. El Pensamiento de Fidel Castro: selección temática. Tomo I, Volume 2 (janeiro de 1959-abril de 1961). Havana: Editora Política, 1983, pg. 418-419. Tradução do Blog Cem Flores.

[2] Discurso de Fidel Castro em assembleia de trabalhadores de fábricas de eletricidade. In: CASTRO, Fidel. El Pensamiento de Fidel Castro: selección temática. Tomo I, Volume 2 (janeiro de 1959-abril de 1961). Havana: Editora Política, 1983, pg. 554. Tradução do Blog Cem Flores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *