Por que razão discutir a crise do Marxismo?

Todo julgamento da crítica científica será bem vindo. Quanto ao preconceito da assim chamada opinião pública, à qual nunca fiz concessões, tomo por divisa o lema do grande florentino: Segui Il tuo corso, e lascia dir le genti. (Marx, 1983, Editora Abril, prefácio à primeira edição de O Capital). Por todas as razões acreditamos que devemos expor os motivos porque decidimos discutir a crise do marxismo. Crise na teoria e na prática, como não poderia deixar de ser. As razões políticas, […]

Leia mais

O mais recente crash financeiro. Uma análise marxista-leninista da crise do imperialismo

Em todos os países da Europa, tornou-se agora uma verdade demonstrável a todo o espírito sem preconceitos e apenas negada por aqueles cujo interesse está em confinar os outros a um paraíso de tolos que nenhum melhoramento da maquinaria, nenhuma aplicação da ciência à produção, nenhuns inventos de comunicação, nenhumas novas colônias, nenhuma emigração, nenhuma abertura de mercados, nenhum comércio livre, nem todas estas coisas juntas, farão desaparecer as misérias das massas trabalhadoras; mas que, na presente base falsa, qualquer […]

Leia mais

Luta de classes e crise do imperialismo

Toda organização interna das nações, todas as suas relações internacionais, não constituem apenas a expressão de determinada divisão do trabalho? Não devem modificar-se com as modificações da divisão do trabalho? (Carta de Marx a P. V. Annenkov, 1846, p. 244) [1]. Através de inúmeros artigos vimos, do ponto de vista do marxismo-leninismo, buscando construir/desenvolver: a conceituação de imperialismo a partir do trabalho de Lenin [2]; a análise do processo de crise que vive o sistema imperialista – iniciado com a crise […]

Leia mais

Aprofunda-se o processo de regressão

«Estamos nos transformando na grande roça do mundo»,… César Borges de Souza, vice-presidente da Caramuru Alimentos, a maior empresa de processamento de grãos de capital nacional. 1 Afirmamos em nosso documento Regressão a uma Situação Colonial de Novo Tipo que a reconfiguração da formação econômico-social brasileira responde a sua inserção como país dominado no processo de reconfiguração do sistema imperialista, da economia mundial, ou “a movimentos de expansão e deslocamento da economia internacional”, como quer o BNDES em seu documento: […]

Leia mais

Do capitalismo utópico ao socialismo científico

A versão brasileira do pensamento único, de Collor a Lula, é a idéia tipicamente reacionária de que é possível conciliar uma boa democracia com imperialismo. 1 Discutíamos a posição da nossa “esquerda” diante da visita de Bush ao Brasil, quando veio à discussão um título famoso de Engels, “Do Socialismo Utópico ao Socialismo Científico” porque através dele podemos explicitar a diferença entre a nossa posição enquanto marxistas-leninistas e a posição da autointitulada esquerda, debater e criticar os problemas colocados por […]

Leia mais

A crise do imperialismo expressa o agravamento de todas as suas contradições

A crise do imperialismo expressa o agravamento de todas as suas contradições, principalmente da contradição entre a burguesia e o proletariado, da luta de classes, manifesta/expressa na dificuldade da retomada da taxa média de lucro, implicando/desdobrando-se no agravamento da contradição do imperialismo com os povos dos países dominados e, cada vez mais, da contradição interimperialista. Estamos vivendo nos primórdios da barbárie capitalista, de um mundo que não se parece em nada com a sociedade sem classes, o “reino da liberdade”, […]

Leia mais

O papel do agronegócio na reconfiguração da formação econômico-social brasileira: a propósito de um artigo do MST

Todo povo tem na sua evolução, vista à distância, um certo «sentido». Este se percebe não nos pormenores de sua história, mas no conjunto dos fatos e acontecimentos essenciais que a constituem num largo período de tempo. Quem observa aquele conjunto, desbastando-o do cipoal de incidentes secundários que o acompanham sempre e o fazem muitas vezes confuso e incompreensível, não deixará de perceber que ele se forma de uma linha mestra e ininterrupta de acontecimentos que se sucedem em ordem […]

Leia mais

Formação econômico-social brasileira: regressão a uma situação colonial de novo tipo

… o que é a essência mesma, a alma viva do marxismo: a análise concreta de uma situação concreta (Lenin) [1]. … um país dominado, ou anteriormente dominado, que não modifica sua situação na divisão capitalista do trabalho internacional não faz senão reproduzir a sua situação desfavorável: quanto mais cresce a produção dos produtos que o seu “lugar” lhe atribui, mais participa do agravamento da sua situação desfavorável (as manipulações de preço não podem modificar esse fato enquanto subsistir uma […]

Leia mais

E agora?

Eu quisera ser claro de tal forma que ao dizer – rosa! todos soubessem o que haviam de pensar. Mais: quisera ser claro de tal forma que ao dizer – já! todos soubessem o que haviam de fazer. (Geir Campos. Poética) 1 E agora? Depois do Severino e de dois anos de Governo Lula, não é possível a mais ninguém imaginar o PT como “instrumento de transformação social”, se estamos tratando de transformações, por mínimas que sejam em beneficio do […]

Leia mais

Convocatória para a reconstrução do partido revolucionário do proletariado

Ou para ler o Que Fazer? Homenagem aos 100 anos de sua publicação [1] Em princípio de 1902, Lenin publicava seu trabalho Que Fazer? com objetivo de, partindo da afirmação do caráter científico do marxismo, demolir na teoria e na prática a corrente economicista de Martínov e os argumentos das correntes oportunistas em geral, de direita ou de esquerda, demarcar as limitações da luta de classes espontânea e, sustentando a unidade dialética entre a teoria revolucionária e a prática revolucionária, afirmar […]

Leia mais
1 14 15 16 17